A minha fotografia
Nome:

M. Eugénia Prata Pinheiro

quinta-feira, janeiro 29, 2009

O saque e os encobridores do reino

Factos e mais factos.

Sobre o artista Pedroso e as fantásticas contratações do ME. Embolsou grossa maquia por trabalho que não fez. Estava então em regime de exclusividade na Universidade mas manteve ilegalmente o ordenado por inteiro e nem aulas dava por conta de um doutoramento. Um ME com muitos pesos e muitas medidas.

Um magnânimo relatório sobre os enoooormes avanços no 1º ciclo proclamado como sendo da OCDE que afinal nada tem a ver com o dito organismo. Encomendado a uns "especialistas", recolheram a informação no Me e municípios amigos - resultou excelente, pois então.

O relatório que não é relatório feito por uma comissão independente que afinal não é independente sobre as casas projetadas pelo ingenheiro que afinal ele não projetou (assinou e deu andamento) e a Câmara local que ilegalmente impediu o acesso de um jornalista aos processos.

O tio que tem contas em off-shores mas cuja empresa declarou ao fisco trinta e tal mil euros no ano que passou e que usa com mestria o telefone do bunker; o filho do tio que é mais modernaço e usa mails e aviões para a China que é já ali; o ingenheiro que altera zonas protegidas abrindo na medida exata o espaço para mega-construção num ápice aprovada, homem portanto habilidoso mas muito esquecido - não sabe se atendeu o telefone ao tio, não se lembra das reuniões em que participou...

Uns processos assim esquisitos que vêm de 2002 mas ninguém investiga a não ser os chatos dos ingleses. Ouvi durante muitos anos juristas a defender a existência de juízes de instrução mas acho que já se esqueceram do assunto - "procurar" assim é muito mais tranquilo.

Interessante é ver alguns jornalistas a acordar. Ressalve-se que alguns não dormem mas esses têm de travar batalhas no tribunal, subir de instância em instância para conseguir acesso à informação e aos documentos de que precisam para o seu trabalho.

Post Scriptum 1: Verifiquei que também a senhora Procuradora Adjunta anda esquecida. Ouvi-a há dias dizer que a carta rogatória enviada para Inglaterra em 2005 não obtivera resposta. Afinal teve resposta. É bem capaz de haver mais esquecidos. Dantes havia umas pastilhas, uns comprimidos para a memória. Sei lá, talvez pudessem surtir efeito...

Post Scriptum 2: Ainda aquela bela história da mãe do ingenheiro que, ao que parece sem nunca ter trabalhado, recebe da Segurança Social uma pensão de três mil euros, esquece-se de que a recebe e declara ao fisco rendimento de duzentos e cinquenta euros mensais. Cruzamento de dados bla, bla, bla... E compra andares a pronto em off-shores, vivam pois os off-shores.



0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home